Quais são os principais erros que te fazem cair na malha fiscal?

A Secretaria da Receita Federal do Brasil – RFB informou que, dos 28,2 milhões de contribuintes que apresentaram Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física no ano passado, mais de 700 mil ficaram retidos pelo sistema do Governo. Isso acontece porque podem ocorrer diversos problemas durante o cruzamento de informações apresentadas pelo cidadão com os dados contidos no sistema do Governo, você sabe quais são os principais erros que te fazem cair na malha fiscal? Então fique sabendo aqui neste artigo, acompanhe!

O medo da malha fiscal

No momento de preencher a sua Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física, muitos erros podem ocorrer por falta de atenção e também por falta de conhecimento por parte do próprio contribuinte. Para evitar futuros problemas, fique atento aos principais erros que as pessoas cometem e que podem acarretar em multa que começa com 25% sobre o valor do imposto, depois da notificação da Receita Federal, ela passa a 75% e, caso seja constatado que o contribuinte cometeu fraude, a multa passa a ser de 150% sobre o valor do imposto.

●      Abatimento de despesas médicas não dedutíveis

Por não haver um limite para a inserção de valores gastos com despesas médicas, muitos contribuintes tendem a inflacionar a quantia, inserindo até mesmo pessoas que não são suas dependentes na Declaração de Imposto de Renda. Isso caracteriza-se em um erro, pois cada cidadão só pode apresentar os gastos médicos realizados por si próprio ou por seus dependentes. Além disso, todas as despesas devem conter recibos e notas que levem a assinatura do médico responsável, juntamente com os dados do paciente, como nome completo, CPF, entre outros.

Outro detalhe importante é que tais gastos apresentados pelo contribuinte devem ter nota fiscal emitida por um hospital.

●     Inclusão de despesas com educação não dedutíveis

Os gastos que são passíveis de serem incluídos na Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física são: mensalidades escolares de ensino infantil, fundamental, médio e superior (graduação, mestrado, doutorado e especialização). Os gastos devem ser do próprio contribuinte e de seus dependentes e não podem ultrapassar o valor de 3.375,83 reais por pessoa declarada este ano. Já cursos extracurriculares, como de línguas, cursos preparatórios para vestibular, inscrições de exames e gastos com material escolar não são dedutíveis, por isso, incluí-los acarretará em erro e na não liberação de sua declaração no momento do processamento do sistema da Receita Federal.

●     Omissão da renda do dependente

Todo aquele que inclui dependentes em sua Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física, deve ficar atento às regras do formulário. Isso porque, ao incluir as despesas medicas dedutíveis de um filho, por exemplo, a pessoa deverá incluir também possíveis bolsas de estágio ou bolsa alimentícia, por exemplo. Com isso, o valor, agora acrescido com a renda do filho, poderá obrigar o cidadão a se enquadrar em outra faixa de Imposto de Renda.

Uma dica é simular a sua declaração com e sem a presença do seu filho e demais dependentes!

●     Omissão de salários de antigos empregadores

Todas as fontes pagadoras são obrigadas a declarar todas as informações ao Fisco, por isso, se você começou o ano em um emprego e depois passou para outro, não esqueça de declarar os dados dos dois empregadores, pois a falta desse tipo de dado no sistema da Receita Federal será caracterizada em sonegação de impostos, o que vai fazer com que a sua declaração fique retida no momento de processamento pelo sistema.

Evite erros, esteja sempre bastante atento no momento de preencher o formulário de imposto de renda, caso fique inseguro, pode contratar o auxílio de um contador de sua confiança!

Você concorda com a nossa visão?

Deixa seu comentário aqui embaixo com sua opinião!

Quer saber mais sobre nossa consultoria tributária?

Conheça agora nossos serviços de consultoria em impostos.