Você caiu na malha fina? Leia isso agora!

Se você é contribuinte deve ter receio toda vez que está realizando a declaração de Imposto de Renda, para que não corra o risco de cair na malha fina. Neste artigo, vamos falar um pouco sobre esse tema ainda tão complexo para a maioria dos brasileiros.

Entendendo a malha fina

Todas as informações declaradas por você são verificadas pelos sistemas da Receita Federal que vai confrontar esses dados. Cada informação que for enviada de forma equivocada, é identificada pelos computadores da Receita Federal, fazendo o contribuinte cair na malha fina. A Receita fará uma análise detalhada e o contribuinte terá que explicar os fatos. Em caso de erros, a pessoa pode fazer uma correção em até cinco anos.

se cair na malha fiscal paga multa?

 

Cai na malha fina, e agora?

Bem, como comentamos acima, você poderá fazer uma correção. É importante ressaltar que, se você enviar essa correção antes mesmo da Receita identificar, melhor ainda.

Outra informação importante que o contribuinte precisa ter em mente é que o termo malha fina não tem nada a ver com sonegação de impostos, mas sim uma incoerência de dados.

A forma mais rápida de resolver situções simples

Caso o contribuinte tenha caído na malha fina, não precisa nem se deslocar da sua casa ou escritório. Basta apenas acessar o site da Receita Federal e clicar em clicar em E-cac. Lá ele irá receber algumas instruções, e irá ter um código de acesso. Através desse código, ele poderá identificar qual a pendencia e consequentemente o motivo de ter caído na malha fina. Muitas vezes podem ser informações simples, como contas médicas.

…e a resolução pode ser imediata

Se contribuinte identificar que se tratou apenas de um erro dele, deve imediatamente fazer uma retificação e em cerca de 24 horas o problema é resolvido. Caso não seja um problema do contribuinte, ele deve agendar e levar a documentação na Receita Federal para comprovar que está tudo em ordem.

assessoria malha fina

 

Onde malha fina é mais comum 

Omitir informações a respeito de seus ganhos é crime, pois você estará enganando a Receita Federal. Infelizmente esse é um problema que tem feito muitas pessoas caírem na malha fina.

O sistema da Receita Federal dispara os alertas

Muitas vezes o contribuinte tem mais de uma fonte de renda, como pessoas que são freelancers por exemplo, e que trabalham em diversos projetos. Ou quando alguém tem um trabalho fixo e um outro rendimento de um aluguel. Aí ele declara a renda do trabalho, mas a do aluguel não. Então, é preciso ter muito cuidado, pois hoje, com os sistemas de informação e bancos de dado, a Receita Federal está munida de muitas informações importantes sobre os cidadãos brasileiros.

#1 Exemplo de rendimento de trabalho

É com essa troca de informações que a Receita consegue identificar os contribuintes que se equivocaram de alguma forma durante o preenchimento dos dados. Vamos supor que você deixou de informar na declaração a respeito de alguma empresa que você tenha trabalhado no ano anterior, é bem provável que a receita federal descubra porque a empresa faz a sua declaração, informando que você recebeu um salário e, a partir disso, você cai na malha fina.

#2 Exemplo de lucros de empresa

Outro exemplo também: se você é empresário e deixou de informar os lucros da sua empresa na declaração de imposto de renda da sua empresa, e essa informação não constar lá, você também pode cair na malha fina porque os dados não estariam condizentes com as informações que a Receita Federal tem.

#3 Exemplo : apanhado por indicadores

A Receita também avalia outras questões, como por exemplo, se o volume de despesas de um contribuinte está compatível com seus ganhos. Eles avaliam até a quantidade de dependentes que você coloca na declaração. Depois que as informações passam por esse cruzamento eletrônico, a sua declaração de imposto de renda é dada como processada.

#4 Apanhado na malha fina pelo banco e cartões de crédito

Como existe cruzamento entre a Receita e o Banco, o contribuinte tem que justificar muito bem as discrepâncias de fluxos na sua conta bancária e conta a crédito.

Quando o contribuinte identificou a convergência de informações de seu Imposto de Renda, é indicado que corrija imediatamente, não esperando a multa pela retificadora.

 

#5 A surpresa comum das Despesas médicas

As despesas com questões de saúde é o segundo maior motivo das pessoas caírem na malha fina. No passado, a Receita Federal já teve muitas dificuldades de lidar com essa questão, porém, hoje o governo se aprimorou muito.

Todas as clínicas como, dentárias, psicológicas, hospitais, entre outros, também são obrigadas a informar seus rendimentos. Por isso é importante guardar os recibos para que, caso tenha alguma inconsistência nas informações, o contribuinte possa comprovar e fazer a retificação, para sair da malha fina o quanto antes.

Mais erros que fazem cair na malha fina! >>

 

Seja rápido a Corrigir

Quando o contribuinte identificar que caiu na malha fina, precisa procurar corrigir o mais rápido possível, fazer o agendamento e se retificar. Isso mostra que o indivíduo está procurando rever seus erros, ou seja, mostra à Receita que ele teve uma boa ação e intenção para corrigir sua declaração. Isso é o caminho mais correto, e não esperar que a receita notifique. Quando a receita Federal faz a notificação, o contribuinte perde o direito e precisa pagar a multa mínima de 75% do valor de seus impostos.

receitanet sair da malha fina

 

 

Funcionamento da Receita Federal: Cruzamento de informações alargada

Como falamos anteriormente, a Receita Federal vem investindo há anos no cruzamento de informações eletrônicas. Ela coleta informações de diversas bases, como os bancos e administradoras de cartão de créditos que precisam enviar dados para a Receita. Assim como as empresas que precisam enviar dados sobre os salários de seus colaboradores, entre muitos outros tipos de dados e informações.

  • A malha fina dispara mesmo quando o cruzamento de dados é incongruente

A partir desse enorme banco de dados, a Receita Federal cruza as informações e avalia se os dados que o contribuinte colocou em sua declaração de pessoa física, está ou não compatível com as outras diversas informações que recebeu dos outros órgãos e instituições. É nesse momento que ocorre a malha fiscal, ou malha fina como é conhecida popularmente.

Se ela não passa por esse procedimento eletrônico, ela fica “em pendencia” ou “em processamento”, e a partir disso você pode considerar que a sua declaração estará em análise, podendo cair na malha fina.

Se cair na malha, pago multa? >>

 

Caiu na malha fina? Não precisa se desesperar

Especialistas explicam que o fato do contribuinte cair na malha fina não é motivo nenhum para ficar desesperado. Apesar das tecnologias cada vez mais avançadas, o cruzamento de dados pode sim ser incoerente. As vezes uma informação muito simples fica divergente e você já cai na malha fina automaticamente.

  • Conferir se está na malha fina

A melhor maneira de você conferir se caiu na malha fina é fazer uma consulta na internet, entrando no site da Receita Federal www.receita.fazenda.gov.br. Na página inicial, tem um campo chamado “Cidadão”, coloque o mouse e veja as opções que aparecem, e cliquem em extrato e restituição. Ao clicar, você será direcionado para uma outra página e clique na opção reinstituição do imposto de renda. é nesse campo que você poderá consultar se a sua reinstituição de imposto de renda foi liberada ou não. Caso você não tenha nenhuma reinstituição, pode clicar na opção abaixo “Extrato completo do processamento”.

Você poderá consultar a reinstituição ou o resultado do exercício do ano anterior. Clique na opção de reinstituição para ser direcionado para outra tela, se você tiver reinstituição ele vai dizer se foi liberado, ou se você tem imposto a pagar ele vai te dizer que a sua declaração foi processada ou não.

Coloque o número do seu CPF e digite o código ao lado esquerdo da tela e clica em consultar. Caso apareça que a sua reinstituição foi liberada e encaminhada, você não tem nenhum motivo para se preocupar. Agora se aparecer que sua declaração apresenta pendencias, verifique a opção de extrato completo na tela anterior a essa para que você possa verificar o que está pendente.

Viu como pode ser fácil verificar e resolver quando um contribuinte caiu na malha fina?

assessoria malha fina

 


Como Minimizar o Efeito da Malha Fina à nascença

Entenda o Principio da Proporcionalidade Fiscal

Todos os meses o governo desconta dos brasileiros o percentual sobre quase tudo que fazemos: aluguel, salário e até prêmios lotéricos. Cada brasileiro paga de acordo com a sua própria renda, respeitando tecnicamente a regra mais justa: quem ganha mais, paga mais, quem ganha menos, paga menos.

Começa na Declaração de Imposto Renda

A declaração de imposto de renda é feita sempre a respeito do ano anterior, por exemplo: em 2016, declaramos os ganhos e movimentações a respeito de 2015. A partir do envio dessas informações, a Receita Federal precisa calcular quanto cada brasileira e trabalhador precisaria ter pago de impostos. A receita faz uma soma dos ganhos e desconta, que são as chamadas deduções fiscais.

  • Como fazer a declaração

Você pode fazer a sua própria declaração através do programa da Receita. É preciso apenas baixa-lo em seu computador, sendo que o mesmo oferece ao contribuinte diversas explicações e orientações para que eles possam fazer o preenchimento com o intuito de evitar erros.

  • Pode pedir ajuda para fazer a declaração

Caso você não tenha tempo e até prefira não se envolver nessa questão, por ser um pouco detalhista, pode contratar um contador para fazer pra você. Existem algumas instituições que fazem ações de apoio aos contribuintes, em troca de alguma colaboração assistencial. Por exemplo, em algumas faculdades, os estudantes de contabilidade auxiliam os contribuintes com a declaração de imposto de renda, bastante apenas que ele leve algum alimento não-perecível. Mas veja na sua cidade se há essas ações específicas, pois vale muito a pena.

  • Despesas que podem ser Abatidas ao Rendimento!

É importante ressaltar que algumas despesas podem ser abatidas, dando a oportunidade aos brasileiros de pagar menos impostos, mas isso vale para apenas alguns setores, como saúde e educação. Todas as outras formas de consumo são incluídas e pagamos por isso.

  • O normal acerto de contas nos impostos

Depois que você faz a declaração, a receita verifica se você pagou mais ou menos impostos do que realmente deveria. Caso tenha pago a mais, o governo precisa devolver, sendo que quem entrega a declaração mais cedo, costuma receber primeiro.

  • Limites de obrigatoriedade

Lembrando que, a declaração do imposto de renda, no ano anterior, foi obrigatória para quem os ganhos ultrapassaram um pouco mais de 28 mil reais ao ano. Aposentaria, salário e alugueis são declarados como rendimentos tributáveis. Já os ganhos com prêmios de loteria e 13º salário são representam os rendimentos tributados na fonte.

 

Se você é contribuinte deve ter receio toda vez que está realizando a declaração de Imposto de Renda, para que não corra o risco de cair na malha fina. Neste artigo, vamos falar um pouco sobre esse tema ainda tão complexo para a maioria dos brasileiros.

Vamos lá?

Todos os meses o governo desconta dos brasileiros o percentual sobre quase tudo que fazemos: aluguel, salário e até prêmios lotéricos. Cada brasileiro paga de acordo com a sua própria renda, respeitando tecnicamente a regra mais justa: quem ganha mais, paga mais, quem ganha menos, paga menos.

A declaração de imposto de renda é feita sempre a respeito do ano anterior, por exemplo: em 2016, declaramos os ganhos e movimentações a respeito de 2015. A partir do envio dessas informações, a Receita Federal precisa calcular quanto cada brasileira e trabalhador precisaria ter pago de impostos. A receita faz uma soma dos ganhos e desconta, que são as chamadas deduções fiscais.

É importante ressaltar que algumas despesas podem ser abatidas, dando a oportunidade aos brasileiros de pagar menos impostos, mas isso vale para apenas alguns setores, como saúde e educação. Todas as outras formas de consumo são incluídas e pagamos por isso.

Depois que você faz a declaração, a receita verifica se você pagou mais ou menos impostos do que realmente deveria. Caso tenha pago a mais, o governo precisa devolver, sendo que quem entrega a declaração mais cedo, costuma receber primeiro.

Entendendo a malha fina

Todas as informações declaradas por você são verificadas pelos sistemas da Receita Federal que vai confrontar esses dados. Cada informação que for enviada de forma equivocada, é identificada pelos computadores da Receita Federal, fazendo o contribuinte cair na malha fina. A Receita fará uma análise detalhada e o contribuinte terá que explicar os fatos. Em caso de erros, a pessoa pode fazer uma correção em até cinco anos.

Você pode fazer a sua própria declaração através do programa da Receita. É preciso apenas baixa-lo em seu computador, sendo que o mesmo oferece ao contribuinte diversas explicações e orientações para que eles possam fazer o preenchimento com o intuito de evitar erros.

Caso você não tenha tempo e até prefira não se envolver nessa questão, por ser um pouco detalhista, pode contratar um contador para fazer pra você. Existem algumas instituições que fazem ações de apoio aos contribuintes, em troca de alguma colaboração assistencial. Por exemplo, em algumas faculdades, os estudantes de contabilidade auxiliam os contribuintes com a declaração de imposto de renda, bastante apenas que ele leve algum alimento não-perecível. Mas veja na sua cidade se há essas ações específicas, pois vale muito a pena.

O contribuinte deve ficar atento quando as suas declarações de impostos de renda saírem do status de processamento, pois a mesma após isso pode ter caído direto na malha fina.

Lembrando que, a declaração do imposto de renda, no ano anterior, foi obrigatória para quem os ganhos ultrapassaram um pouco mais de 28 mil reais ao ano. Aposentaria, salário e alugueis são declarados como rendimentos tributáveis. Já os ganhos com prêmios de loteria e 13º salário são representam os rendimentos tributados na fonte.

Cai na malha fina, e agora?

Bem, como comentamos acima, você poderá fazer uma correção. É importante ressaltar que, se você enviar essa correção antes mesmo da Receita identificar, melhor ainda. Outra informação importante que o contribuinte precisa ter em mente é que o termo malha fina não tem nada a ver com sonegação de impostos, mas sim uma incoerência de dados.

Caso o contribuinte tenha caído na malha fina, não precisa nem se deslocar da sua casa ou escritório. Basta apenas acessar o site da Receita Federal e clicar em clicar em E-cac. Lá ele irá receber algumas instruções, e irá ter um código de acesso. Através desse código, ele poderá identificar qual a pendencia e consequentemente o motivo de ter caído na malha fina. Muitas vezes podem ser informações simples, como contas médicas.

Se contribuinte identificar que se tratou apenas de um erro dele, deve imediatamente fazer uma retificação e em cerca de 24 horas o problema é resolvido. Caso não seja um problema do contribuinte, ele deve agendar e levar a documentação na Receita Federal para comprovar que está tudo em ordem.

Omissão de informação: cuidado com a malha fina

Omitir informações a respeito de seus ganhos é crime, pois você estará enganando a Receita Federal. Infelizmente esse é um problema que tem feito muitas pessoas caírem na malha fina.

Muitas vezes o contribuinte tem mais de uma fonte de renda, como pessoas que são freelancers por exemplo, e que trabalham em diversos projetos. Ou quando alguém tem um trabalho fixo e um outro rendimento de um aluguel. Aí ele declara a renda do trabalho, mas a do aluguel não. Então, é preciso ter muito cuidado, pois hoje, com os sistemas de informação e bancos de dado, a Receita Federal está munida de muitas informações importantes sobre os cidadãos brasileiros.

Quando o contribuinte identificou a convergência de informações de seu Imposto de Renda, é indicado que corrija imediatamente, não esperando a multa pela retificadora.

Despesas médicas

As despesas com questões de saúde é o segundo maior motivo das pessoas caírem na malha fina. No passado, a Receita Federal já teve muitas dificuldades de lidar com essa questão, porém, hoje o governo se aprimorou muito.

Todas as clínicas como, dentárias, psicológicas, hospitais, entre outros, também são obrigadas a informar seus rendimentos. Por isso é importante guardar os recibos para que, caso tenha alguma inconsistência nas informações, o contribuinte possa comprovar e fazer a retificação, para sair da malha fina o quanto antes.

Corrigir o mais rápido possível

Quando o contribuinte identificar que caiu na malha fina, precisa procurar corrigir o mais rápido possível, fazer o agendamento e se retificar. Isso mostra que o indivíduo está procurando rever seus erros, ou seja, mostra à Receita que ele teve uma boa ação e intenção para corrigir sua declaração. Isso é o caminho mais correto, e não esperar que a receita notifique. Quando a receita Federal faz a notificação, o contribuinte perde o direito e precisa pagar a multa mínima de 75% do valor de seus impostos.

Cruzamento de informações

Como falamos anteriormente, a Receita Federal vem investindo há anos no cruzamento de informações eletrônicas. Ela coleta informações de diversas bases, como os bancos e administradoras de cartão de créditos que precisam enviar dados para a Receita. Assim como as empresas que precisam enviar dados sobre os salários de seus colaboradores, entre muitos outros tipos de dados e informações.

A partir desse enorme banco de dados, a Receita Federal cruza as informações e avalia se os dados que o contribuinte colocou em sua declaração de pessoa física, está ou não compatível com as outras diversas informações que recebeu dos outros órgãos e instituições. É nesse momento que ocorre a malha fiscal, ou malha fina como é conhecida popularmente.

É com essa troca de informações que a Receita consegue identificar os contribuintes que se equivocaram de alguma forma durante o preenchimento dos dados. Vamos supor que você deixou de informar na declaração a respeito de alguma empresa que você tenha trabalhado no ano anterior, é bem provável que a receita federal descubra porque a empresa faz a sua declaração, informando que você recebeu um salário e, a partir disso, você cai na malha fina.

Outro exemplo também: se você é empresário e deixou de informar os lucros da sua empresa na declaração de imposto de renda da sua empresa, e essa informação não constar lá, você também pode cair na malha fina porque os dados não estariam condizentes com as informações que a Receita Federal tem.

A Receita também avalia outras questões, como por exemplo, se o volume de despesas de um contribuinte está compatível com seus ganhos. Eles avaliam até a quantidade de dependentes que você coloca na declaração. Depois que as informações passam por esse cruzamento eletrônico, a sua declaração de imposto de renda é dada como processada.

Se ela não passa por esse procedimento eletrônico, ela fica “em pendencia” ou “em processamento”, e a partir disso você pode considerar que a sua declaração estará em análise, podendo cair na malha fina.

Caiu na malha fina? Não precisa se desesperar

Especialistas explicam que o fato do contribuinte cair na malha fina não é motivo nenhum para ficar desesperado. Apesar das tecnologias cada vez mais avançadas, o cruzamento de dados pode sim ser incoerente. As vezes uma informação muito simples fica divergente e você já cai na malha fina automaticamente.

A melhor maneira de você conferir se caiu na malha fina é fazer uma consulta na internet, entrando no site da Receita Federal www.receita.fazenda.gov.br. Na página inicial, tem um campo chamado “Cidadão”, coloque o mouse e veja as opções que aparecem, e cliquem em extrato e restituição. Ao clicar, você será direcionado para uma outra página e clique na opção reinstituição do imposto de renda. é nesse campo que você poderá consultar se a sua reinstituição de imposto de renda foi liberada ou não. Caso você não tenha nenhuma reinstituição, pode clicar na opção abaixo “Extrato completo do processamento”.

Você poderá consultar a reinstituição ou o resultado do exercício do ano anterior. Clique na opção de reinstituição para ser direcionado para outra tela, se você tiver reinstituição ele vai dizer se foi liberado, ou se você tem imposto a pagar ele vai te dizer que a sua declaração foi processada ou não.

Coloque o número do seu CPF e digite o código ao lado esquerdo da tela e clica em consultar. Caso apareça que a sua reinstituição foi liberada e encaminhada, você não tem nenhum motivo para se preocupar. Agora se aparecer que sua declaração apresenta pendencias, verifique a opção de extrato completo na tela anterior a essa para que você possa verificar o que está pendente.

Viu como pode ser fácil verificar e resolver quando um contribuinte caiu na malha fina?

A e-financeira e o impacto na malha fiscal

Diante das modernização do fisco temos mais uma obrigação acessória que permite revolucionar a receita federal. Saiba no vídeo abaixo como isso vai acontecer:

Como contratar uma empresa de Consultoria tributária?

Contratar uma empresa idônea que faça um serviço de consultoria tributária é a parte mais importante do processo para o empresário, nos últimos anos temos observado uma séria de picaretas com soluções milagrosas e sabemos que tais soluções não passam de mentiras. A melhor forma de contratação é saber mais sobre a marca, expertise dos sócios e os trabalhos já feito pela empresa de consultoria tributária.

Se você percebe que o processo de consultoria tributária pode agregar a sua empresa, mas gostaria de trocar uma idéia sobre como fazê-lo, pode entrar em contato com a gente através da nossa página de consultoria.

Você concorda com a nossa visão?

Deixa seu comentário aqui embaixo com sua opinião!

Quer saber mais sobre nossa consultoria tributária?

Conheça agora nossos serviços de consultoria em impostos.