Confira 12 dicas para você não cair na malha fina do Imposto de Renda

Confira 12 dicas para você não cair na malha fina do Imposto de Renda

Consultoria Tributária       15 de Março de 2016

Você está preocupado em não cair na malha fina do imposto de renda? Confira essas 12 dicas e veja como se livrar desse problema

Considerações iniciais

A declaração de imposto de renda do ano base já pode ser enviada.  No entanto, para que tudo corra bem e você não caia na malha fina e, não haja problemas nem confusão, os especialistas recomendam que os contribuintes cumpram todas as informações necessárias, evitando assim o inconveniente em fazer o impostono o último dia da declaração.

É preciso, por exemplo, estar ciente do aumento da quantidade de imposto este ano.  Uma das razões, de acordo com especialistas, é o fato de que o Congresso aprovou uma correção que supostamente “alivia” a situação dos contribuintes.  No entanto, a presidente do Brasil vetou o ajuste e, em seguida, concedeu 4,5%.

O Outro motivo do aumento é uma Manutenção de valores limites como despesas dedutíveis (aqueles que podem ser deduzidos) a base de cálculo do IR, especialmente está relacionada com a educação eos dependentes.

Háa possibilidade da realização da declaração online, via e-Cac, além de um aplicativo que possibilitará Que o contribuinte informe Dados de Pagamentos e recebimentos Durante Todo o ano (esta informação pode ser importada em DIRPF).

 A escala móvel para o cálculo do imposto será o seguinte: Para reduzir suas chances de cair na malha fina, abaixo você pode ver 12 Dicas especialistas na área.

 1) Organizetodos os seus vouchers, referentes principalmente aos gastos com educação e saúde, que podem precisar de prova;

 2) Declare todos os rendimentos recebidos:Os salários, proventos, aposentadoria, pró-labores, rendas e outros;

 3) Declare os rendimentos do cônjuge quando a declaração for em conjunto;

4) Declare o resultado da subtração entre o lucro real e rendimentos isentos e não tributáveis.  Ambos são relatados na prova de rendimentos fornecidos pelo pagador;

5) Coloque vírgula como separador de centavos. A instrução do programa gerador não considera o ponto como separadorde centavos, fazendo com que o valor se torne errado;

 6) Declare prêmios de loterias e planos de capitalização no registro “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva / Final”;

7) Declare planos de previdência na modalidade PGBL como dedutível, até o limite de 12% do lucro tributável declarado.  A legislação não permite a dedução dos planos de previdência na modalidade VGBL;

 8) Não declare doações para instituições de caridade. A lei só permite doações feitas diretamente aos fundos controlados pelos Conselhos Municipais, Estaduais e Nacionais dos Direitos da Criança e do Adolescente, e limitados até 6% do imposto devido;

 9) Não declare o 13º salário como rendimento tributável.  Ele é um “Rendimento sujeito à tributação exclusiva / Final”;

 10) Declare os ganhos ou perdas de capital próprio, quando operando na bolsa de valores;

 11) Não declare as despesas de planos de saúde dos dependentes que não figurem no IR comunicado.  O contribuinte, titular de plano de saúde, não pode deduzir os valores relativos ao cônjuge e aos filhos quando eles declaram separadamente imposto de renda.  Só é dedutível do montante pago a declaração do imposto de renda,os planos de saúde considerados de indivíduos dependentes de legislação, incluídos na demonstração responsável;

12) Declarar ganhos ou perdas de capital, quando os bens e direitos são vendidos.

Cair na malha fina?  Veja o que fazer para que isso não aconteça

Para não cair na malha fina do imposto de renda, você deve seguir mais essas dicas:

Além do pagamento do imposto, os contribuintes também são agora capazes de cair ou não na malha fina. Especialistas no assunto lembram que ainda é possível fazer alguns ajustes no imposto antes de ser chamado pelo Fisco.

Segundo profissionais especializados nesse tema, o IRS permite o acesso do contribuinte para os detalhes do processamento de sua declaração através do código de acesso gerado no IRS ou certificado digital do próprio site. Quando qualquer problema foi detectado, o Fisco já aponta ao contribuinte o item que está sendo ponto de divergência e o orienta o a fazer a correção.

Cruzamento do Carne Leão ( Receita federal ) x INSS (Previdência)

Em 2016 já podemos observar mais um cruzamento do fisco. No vídeo abaixo falamos como a receita federal fará o cruzamento:

 Como pesquisar?

Para verificar se há inconsistências na declaração do imposto de renda ou para verificar se a declaração foi retida para a verificação é necessário acessar o extrato da Declaração de imposto a individual da renda, disponível no portal do e-CAC. Para acessar, é necessário usar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal, ou certificado digital emitido por autoridade habilitada. Os contribuintes também podem verificar se as coordenadas do PIT devidamente pagas; se há pedidos, alteração ou cancelamento das quotas de débito direto, e identificar e parcelar os pagamentos em atraso, entre outros serviços.

Como corrigir o imposto de renda,se os erros forem detectados?

Se erros no imposto de renda forem detectados, para não cair na malha finaé importante retificar o comunicado. O procedimento é o mesmo que fazer outro, a diferença é que no campo “Identificação do contribuinte” deve ser informada, que a declaração é de retificação. Também é fundamental que o contribuinte tenha o número de o recibo de entrega da declaração, para a realização do processo.

 A entrega desta declaração pode ser feita através da internet. O contribuinte quejá estiver pagando imposto não poderá interromper o recolhimento, mesmo com uma redução do imposto a pagar.

 Nesse caso, ele deve agir como se segue:

 1 – Recalcular o novo valor de cada ação, mantendo o número de parcelas em que o imposto foi dividido para corrigira declaração, desde que seja respeitado o valor mínimo;

 2 – Os valores pagos mais as taxas vencidas devem ser compensados ​​com vencimentos futuros, em ações, ou seremobjetos dereivindicação do reembolso;

 3 – Sobre o valor a ser restituído ou compensado equivalente à taxa de juros Selic, deve ser feito da seguinte forma: Com o termo inicial do mês seguinte ao do pagamento a maior e, como termo final antes da restituição ou do mês compensação adicionado de 1% no mês de restituição ou compensação.

Se você pagou menos do que deveria, terá de regularizar o reembolso do valor em suas declarações, recolhendo quaisquer diferenças, que teriam obtidos juros e multas de mora, limitados a 20%. E isso só pode ser feito antes do recebimento da notificação inicial da Receita.

Considerações finais

AS 12 dicas não cair na malha fina do imposto de renda que foram descritas acima devem ser seguidas pelo contribuinte que não quiser ter problemas com o fisco. Vale lembrar que a declaração retificadora alterando a opção não é permitida, ou seja, se o contribuinte declarou em “Concluir” deve retificar a sua declaração nesta forma, mesmo que o resultado no “simplificado” sejam ruim para o cidadão.

Como contratar uma empresa de Consultoria tributária?

Contratar uma empresa idônea que faça um serviço de consultoria tributária é a parte mais importante do processo para o empresário, nos últimos anos temos observado uma séria de picaretas com soluções milagrosas e sabemos que tais soluções não passam de mentiras. A melhor forma de contratação é saber mais sobre a marca, expertise dos sócios e os trabalhos já feito pela empresa de consultoria tributária.

Se você percebe que o processo de consultoria tributária pode agregar a sua empresa, mas gostaria de trocar uma idéia sobre como fazê-lo, pode entrar em contato com a gente através da nossa página de consultoria.

Você concorda com a nossa visão?

Deixa seu comentário aqui embaixo com sua opinião!

Quer saber mais sobre nossa consultoria tributária?

Conheça agora nossos serviços de consultoria em impostos.